Pesquisar neste blog

Carregando...

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Solo e Tipos de solos

FORMAÇÃO DO SOLO

O solo nada mais é do que o resultado da ação conjunta de agentes externos (como chuva, vento, umidade etc) sobre restos minerais, porém enriquecidos com matéria orgânica. Sem a presença de matéria orgância não há a formação de solo, tratando-se somente de minerais não consolidados. O solo pode ser compreendido como consequência da ação do tempo, dos vegetais e animais, do clima e da topografia sobre o material do subsolo (rocha). Estes fatores são chamados de agentes formadores do solo. Estes agentes podem ser divididos em agentes ativos; o clima e a biosfera, e a agentes passivos: a rocha e o relevo. O tempo determina a maturidade do processo de formação do solo, dividindo os solos em jovens e maduros, dependendo da intensidade da atuação.

TIPOS DE SOLO

Dependendo da composição do material da rocha de origem e da ação exercida pelo clima e pelos organismos sobre este material formam-se solos com características diferentes: uns mais férteis (mais ricos em nutrientes) outros mais pobres em nutrientes. O tamanho e a natureza dos minerais que compõem o solo determinam características importantes. Um solo muito rico em areia que se apresenta na forma de grãos relativamente grandes, não consegue reter a água por muito tempo. A água se infiltra rapidamente pelos espaços existentes entre os grãos de areia, indo se acumular nas camadas mais profundas. Como retém pouca água e secam com muita facilidade, dificultam o crescimento de plantas. São chamados solos arenosos. Os solos argilosos contém muita argila que são minerais de tamanho muito pequeno. A água é retida por muito tempo nos pequenos espaços entre os grãos de argila, originando o barro. Este tipo de solo, encharca com facilidade e por isso também dificulta o crescimento das plantas. Os solos escuros, ricos em matéria orgânica (também chamada de húmus) são ricos em nutrientes, principalmente o nitrogênio. O húmus age ligando os minerais do solo como um cimento, modificando a porosidade e, portanto, aumentando a capacidade de retenção de água. Os solos orgânicos apresentam alta fertilidade, e normalmente proporcionam excelentes condições para o crescimento das plantas.

Dependendo das condições climáticas e biológicas que interagm sobre a rocha de origem, o solo pode

freqüentemente apresentar características mistas.

Perfil do solo: horizontes.

Horizonte O: camada orgânica superficial. Distingui-se pela coloração escura e pelo conteúdo em matéria orgânica (cerca 20%).

Horizonte A: camada mineral superficial adjacente à camada O. É o horizonte onde ocorre grande atividade biológica o que lhe confere coloração escurecida pela presença de matéria orgânica.

Horizonte B: camada mineral situada mais abaixo do horizonte A. Apresenta menor quantidade de matéria orgânica, e acúmulo de compostos de ferro e argilo minerais. Também chamado de subsolo.

Horizonte C: camada mineral de material inconsolidado, ou seja, pouco afetado por processos pedogenéticos.

Horizonte R: Rocha matriz ou rocha inalterada.

Classificação dos Solos

Zonais- São solos bem desenvolvidos - maduros - possuindo todos os horizontes, bem delineados e caracterizados, sendo profundos - latossolos - merecendo destaque; os solos de tundra ou polares; o podzol e o tchernozion - climas temperados úmidos; os solos dos desertos - arenosos - e os latossolos vermelho-amarelados do mundo tropical.

Intrazonais - São solos ainda em processo de desenvolvimentos, refletindo mais a influência do relevo a da rocha-mãe, ao contrário do anterior que reflete a forte influência do clima local. Como exemplo podemos citar os solos hidromórficos (alagado) e halomórfico (salino) são pobres em nutrientes orgânicos porém férteis quando drenado.

Azonais - São solos rasos e pedregosos, não possuindo todos os horizontes. Normalmente apenas os Horizontes A -C ou A - R. Como exemplo podemos citar os solos do Nordeste semi-árido brasileiro.

Quanto a origem os solos podem ser: escuros ou orgânicos; avermelhados ou amarelados e claros.

Degradação do solo – o solo pode ser degradado de várias formas: Erosão, Lixiviação; assoreamento, desmatamento, queimada, extrativismo, monocultura, uso de pesticidas e fertilizantes.

Tipos de solos: Latossolos; Argissolos; aluviais; cambissolos; hidromórficos; halomórficos e litossolos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário